Notícia
Espírito Santo cresce no Ranking de Competitividade dos Estados
Postado em: 21/10/2019
Espírito Santo cresce no Ranking de Competitividade dos Estados

O Espírito Santo subiu duas posições no Ranking de Competitividade dos Estados, elaborado anualmente pela CLP, organização social cujo objetivo é transformar o Brasil por meio do desenvolvimento de líderes e a mobilização da sociedade. O anúncio foi feito em cerimônia realizada na manhã da última sexta-feira (18), em São Paulo, do qual participou o gerente de Competitividade da Secretaria de Estado de Desenvolvimento (Sedes), Humberto Queiroz.


O Estado subiu 12 posições no pilar de potencial de mercado, oito no pilar de infraestrutura e cinco no pilar de segurança pública, e foi um dos estados que receberam a posição de destaque na edição de 2019 do Ranking em relação ao ano passado. O Espírito Santo está na frente do Rio Grande do Sul (7º), Minas Gerais (8º) e Rio de Janeiro (10º) e atrás apenas de Mato Grosso do Sul (5º), Paraná (4º), Distrito Federal (3º), Santa Catarina (2º) e São Paulo (1º).


Para Queiroz, a competitividade é um tema de extrema relevância para o desenvolvimento. A diretora de Mobilização do CLP, Ana Maria de Castro, explicou como funciona a metodologia para compilação de dados do Ranking de Competitividade. “Entre os dados que utilizamos estão pesquisas do IBGE, mas os resultados apresentados são relativos à 2018. Temos uma metodologia própria que define o conjunto de indicadores do ranking. A partir daí, iniciamos o cálculo dos pesos para poder diferenciar, por exemplo, as desigualdades regionais. Quando os indicadores se sobrepõem, é necessária uma equalização dos pesos. Além disso, alguns estados possuem desafios em relação à alguns pilares que não estão refletidos nesses indicadores. Neste caso, utilizamos um painel com especialistas para calibrar os indicadores e trazer uma edição mais correta, de acordo com a realidade de cada unidade da federação”, comenta.


SOBRE O RANKING DE COMPETITIVIDADE



  • É elaborado desde 2011, e visa a avaliar o desempenho dos governos estaduais, servindo como ferramenta de avaliação da administração pública, um sistema de incentivo para os líderes públicos, diagnosticar e eleger prioridades e promover as boas práticas, ajudando a fazer um diagnóstico preciso que permita aos gestores elencar suas prioridades. • Seu objetivo principal é alcançar um entendimento mais profundo e abrangente das 27 unidades da federação, trazendo para o público uma ferramenta simples e objetiva para pautar a atuação dos líderes públicos brasileiros na melhoria da competitividade e da gestão pública dos seus estados.

  • O ranking conta com referências dos 36 países que compõem a OCDE – Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, o que permite aos estados buscarem boas práticas internacionais e aplicá-las localmente.

  • O ranking analisa 10 pilares estratégicos, com base em 68 indicadores, que são reavaliados a cada ano, para fornecer uma visão sistêmica da gestão pública estadual.

  • Os dez pilares são Capital Humano, Educação, Eficiência da máquina pública, Infraestrutura, Inovação, Potencial de mercado, Segurança Pública, Solidez Fiscal, Sustentabilidade Ambiental e Sustentabilidade social.

  • É elaborado pela organização CLP - Liderança Pública é uma organização sem fins lucrativos e suprapartidária que trabalha para tornar o Brasil um país mais democrático e que ofereça uma vida digna aos seus cidadãos.


Fonte: DIOES


Voltar!