Notícia
São Paulo vai cassar empresa que comprar carga roubada, anuncia Alckimin
Postado em: 22/12/2016
São Paulo vai cassar empresa que comprar carga roubada, anuncia Alckimin
O governador Geraldo Alckmin e o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, estiveram no trecho de Itaquaquecetuba da Rodovia Ayrton Senna para detalhar a operação "Rota Segura" que chega às estradas paulistas nesta segunda-feira (19) para reprimir roubos de carga. O governador anunciou que o governo do Estado aprovou uma lei que cassa inscrição estadual de empresas que comprarem carga roubada.

Em São Paulo, a operação começou no quilômetro 35 da rodovia Ayrton Senna, na altura de Itaquaquecetuba, porque a região concentra a maioria dos casos de roubo de carga. Para o governo, a estrutura rodoviária que dá acesso a outras vias facilita o escoamento de carga roubada. "Houve um mapeamento e aqui é uma região com muito casos. Nem todas a cargas grandes são roubadas aqui, mas o escoamento é feito nessa região. Então, pegando a Ayrton Senna, Dutra e os caminhos entre uma e outra, podemos atacar de forma mais eficiente este tipo de crime", explicou o Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

A operação vai ser realizada em vários estados e já foi feita em alguns locais, como Sergipe. "Iniciamos a operação no dia 5 de dezembro em todas as rodovias federais para oprimir o roubo de carga e contrabando. A partir disso já fizemos em algum estados uma parceria.

Fizemos em Sergipe, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e iniciamos hoje em São Paulo. Houve um trabalho de inteligência com a Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e Polícia Civil. Todo perímetro da rodovia estão cercados, não dá para fazer escoamento. Com pouco tempo de operação, um criminoso já comunica o outro, mas temos o certo no entorno da rodovias. Há, inclusive, informações sobre eventuais receptadores. Esse é um combate ao roubo de carga e contrabando que traz um prejuízo ao cofres brasileiros e vamos até o final do ano realizar em outros três estados", detalhou.

No caso do Estado de São Paulo, o governo também adotou medidas administrativas para coibir este tipo de crime. "Essa é uma união de esforços. Aprovamos uma lei no Estado de São Paulo e já regulamentamos e quem vender carga rouba perde sua inscrição estadual. Uma maneira é pegar o receptador. A lei é inédita no País ", disse o governador Geraldo Alckmin.

O programa conta com a participação da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, concessionárias e guardas municipais. Não foi divulgado cronograma de ações para que as quadrilhas sejam surpreendidas.

A operação vai ser realizada na rodovia, com a abordagem de veículos e caminhões, e também no entorno para evitar que o criminosos que passarem pelas rodovias com carga roubada tentem fugir por alguma rota. "Os roubo de carga pode resultar em latrocínio, gera custo e mantem quadrilhas organizadas", disse governador.

Maria da Penha

O ministro da Justiça informou ainda que está em fase final a elaboração do Plano Nacional de Segurança. Ele deve definir mais claramente o papel da guardas municipais. "O governo federal por parte da Secretaria Nacional de Segurança Pública vai fornecer os cursos de capacitação da guardas civis, sejam ela armadas ou não. O importante que vamos definir com os Estados e Municípios qual é o papel melhor para guarda atuar naquele município. Isso vai otimizar o contingente e vai permitir que o policiamento se dedique à criminalidade mais violenta", explicou.

"A guarda deve ficar principalmente em rondas escolares e na Patrulha Maria da Penha, para proteção às mulheres que sofrem com a violência doméstica. Nossa intenção é ampliar essa prestação de serviço", disse Moraes.

Fonte: NTC&Logística


Voltar!