Notícia
Segura Consultoria e Transcares: frutos e bons negócios à vista
Postado em: 29/04/2016
Segura Consultoria e Transcares: frutos e bons negócios à vista
Ao criar o Projeto Mantenedores, o Transcares buscava novas parcerias e negócios que propiciassem uma maior interação com fornecedores do segmento. E quem também já está fazendo parte dessa “rede de negócios” é a Segura Consultoria, empresa nascida a partir de uma ideia: segurança do trabalho.

Ao dizer “sim” para o projeto do sindicato, a empresa está investindo num trabalho em parceria que renderá frutos e bons negócios. Essa é a expectativa do Diretor Comercial, Alan Santana, que aposta também no reconhecimento do Transcares no mercado.

“A existência de sócios mantenedores se tornou uma tendência de mercado. Nós, então, fizemos algumas pesquisas e sentimos a necessidade de fazer parte dessa equipe. Diante de um cenário instável, do mercado financeiro, as empresas precisam estar conscientes, buscar melhorias e criar estratégias de marketing para alcançar mercados. É isso o que estamos fazendo”, destaca ele, que completa em seguida.

“Nosso objetivo é levar aos associados a realidade do que é cobrado em relação aos serviços em segurança do trabalho, medicina ocupacional, licenciamento ambiental e sistemas de combate a incêndios, de acordo com o que exigido pelos órgãos fiscalizadores. Acreditamos que somos fortes quando somos parceiros e agimos em unidade. Essa é a filosofia da Segura Consultoria”.

A empresa

As atividades da Segura são divididas em Segurança do Trabalho (treinamentos e documentos prevencionistas); Licenciamento Ambiental (projetos, cumprimento de legislação de notificações, produtos químicos e perigosos, e legalização de empresa); Sistema de Combate à Incêndio de acordo com as exigências do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo em instalação, manutenção e conservação de equipamentos (hidrantes, alarmes, SHP, SPDA); e Medicina Ocupacional (exames admissionais, demissionais, periódicos, ASO).

A prioridade da empresa, segundo Santana, é mostrar a realidade e importância desses serviços para os associados, de forma que haja cumprimento da obrigatoriedade para proteção de patrimônio das empresas e que elas não fiquem vulneráveis diante dos órgãos fiscalizadores. Tudo isso mesmo em época de crise.

“Estamos dispostos a mostrar que mesmo em tempos de crise as empresas podem e devem investir em reciclagem, sustentabilidade e mão de obra especializada sem que haja perdas ou desperdícios. Esse é o caminho para a consciência educativa”, finaliza.


Voltar!