Notícia
Transcares reúne grupo para falar sobre abastecimento das cidades
Postado em: 30/04/2015
Transcares reúne grupo para falar sobre abastecimento das cidades
Empresários que trabalham com carga fracionada, dirigentes do Transcares e representantes das prefeituras de Vitória e Cariacica estiveram juntos na segunda-feira, 27 de abril, participando do workshop Mobilidade Urbana e Abastecimento das Cidades, cuja apresentação ficou sob responsabilidade do Diretor Operacional de Cargas Fracionadas da entidade, Marcos Furtunato.

Presente no evento, o presidente do Trancares, Liemar Pretti, resumiu em poucas palavras o grande objetivo do sindicato com eventos desse tipo: “Queremos que o transporte de cargas seja inserido na discussão da mobilidade urbana, mas sem atrapalhar. O que buscamos é a convivência harmoniosa entre os cidadãos e o caminhão, veículo que garante o abastecimento das cidades”.

Furtunato, que preferiu transformar o workshop numa discussão mais “intimista”, elencou, logo no início do bate-papo, os principais obstáculos para o abastecimento dos municípios: deficiência de vagas para carga e descargas no centro e bairros; dificuldades para o abastecimento urbano; e conflitos na fiscalização de trânsito.

“O número de vagas nas vias da Grande Vitória destinadas a carga e descarga é desproporcional à demanda da atividade comercial. E além disso, existe uma falta de estrutura de bairros como Jardim da Penha, Praia do Canto e Jardim Camburi, por exemplo, que vivem uma expansão comercial, mas sofrem com a mesma carência de vagas e estrangulamento de trânsito”, enumerou o dirigente.

Com relação ao abastecimento urbano, ele citou outras grandes problemas para os transportadores: o primeiro diz respeito à grande concentração comercial em áreas urbanas, contrastando com a carência de infraestrutura, e à frequente necessidade de reposição de mercadorias em supermercados e outros comércios essenciais na Grande Vitória. E o segundo ponto tem a ver com a insegurança vivida pelo segmento nas operações de carga e descarga nos centros urbanos.

“A grande maioria das pessoas tem uma visão equivocada da importância do transporte de cargas nessas áreas e é por isso que precisamos do apoio do ente público”, ressaltou Furtunato, dizendo, ainda, que a vocação econômica de Vitória é maior que sua infraestrutura para o abastecimento.

E não bastassem as dificuldades que envolvem o déficit de infraestrutura viária e as atividades industrial, comercial e de transporte de cargas, existe, ainda, um intenso conflito na fiscalização do trânsito.

O Diretor Operacional fez questão de lembrar do uso recorrente de área para carga e descarga por veículos particulares, e da deficiência de sinalização nas áreas destinadas a esse fim. “E o que esse cenário causa para o transporte de cargas? Nossos veículos parados em filas dupla e pontos de ônibus, excesso de autuações, descumprimento de prazos logísticos, e acidentes de trânsito e trabalho”, pontuou, voltando a falar da necessidade de um trabalho integrado entre setores público e privado para minimizar essa realidade e fazer com o que caminhão deixe de ser visto como vilão da mobilidade.

“O modal rodoviário vai aonde nenhum outro consegue chegar. Atendemos pequenos comércios, hospitais, clínicas e farmácias, concessionárias e revendas de veículos, supermercados, padarias, operadores logísticos, portos públicos e privados, postos de Combustíveis, indústria, dentre outros. Mais do que nunca, é necessária a criação de uma cultura de diálogo e inovação, e de uma aproximação permanente entre setores público e produtivos privados, a fim de que consigamos conscientizar as pessoas a respeito da importância do segmento no desenvolvimento econômico das cidades”, comentou, antes de listar as sugestões do Transcares para o problema.

Dentre as principais propostas apresentadas estão a expansão do número de áreas destinadas ao setor produtivo; melhor distribuição das vagas de carga e descarga; reexame e ampliação da sinalização viária nos centros urbanos; concessão de áreas em bairros com potencial econômico em ascensão; compatibilidade entre horários do comércio, indústria, atividades portuárias com o de abastecimento; atenção especial ao acesso e abastecimento de hospitais; e integração entre o transporte de cargas, o comércio, indústria e o ente público sobre a otimização de horários.

Superintendente do Transcares, Mario Natali, que também acompanhou o workshop, gostou de tudo o que viu e ouviu. “A reunião foi muito produtiva, até porque pudemos contar com a interação do poder público, representado pelas prefeituras de Vitória e de Cariacica, com os empresários. E de tudo o que foi debatido, ficou acertado que o Transcares levará ao secretário da secretaria de Trânsito de Vitória uma proposta para criação de novas áreas de carga e descarga, não apenas no centro da Capital, mas em outros bairros com vocação para o comércio – bairros da zona norte e até na região da Grande Santo Antônio)”.

E também ficou acordado que a Prefeitura de Vitória dará conhecimento antecipado ao Transcares da minuta de decreto sobre áreas de carga e descarga, bem como a equipe da Prefeitura de Cariacica conversará com os profissionais do sindicato sobre a mesma questão, visando construir uma orientação compatível com o crescimento da cidade.


Voltar!