Notícia
Aplicativo InfraBR lança questionário sobre as condições de saúde dos caminhoneiros
Postado em: 25/03/2020
Aplicativo InfraBR lança questionário sobre as condições de saúde dos caminhoneiros

O Ministério da Infraestrutura lançou, no aplicativo InfraBR, um questionário para levantar as condições de saúde dos caminhoneiros, profissionais que não pararam suas atividades a fim de garantir que nada falte nas farmácias, nos supermercados e em outros setores essenciais para a vida dos brasileiros.


Esse levantamento é fundamental para que o governo federal e instituições como o SEST SENAT (Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte) direcionem seus esforços e disponibilizem recursos para medidas emergenciais de amparo aos caminhoneiros. 


Por isso, o SEST SENAT – parceiro do Ministério da Infraestrutura no aplicativo – destaca a importância de os caminhoneiros de todo o país acessarem o app e responderem às perguntas. Essa é uma forma de os profissionais contribuírem para que as ações emergenciais sejam eficazes no dia a dia na estrada. 


Caminhoneiro, responda às perguntas


Os caminhoneiros levarão, em média, apenas três minutos para responderem ao questionário. São sete perguntas que abordam, por exemplo, se o profissional já foi diagnosticado com a covid-19, se ele faz parte do grupo de risco mais acometido pela doença, o tipo de carga transportada, a origem e o destino do produto e as estradas que ele vai percorrer.


Além do aplicativo, os caminhões têm outra opção para responder às perguntas, no site infrabr.infraestrutura.gov.br


Quem optar por baixar o aplicativo, poderá fazê-lo gratuitamente, nas plataformas App Store ou Play Store. 


É importante ressaltar que o aplicativo já instalado pode ser atualizado para o questionário aberto.


Em breve, mais serviços de apoio


Por enquanto, o InfraBR disponibiliza informações sobre frete, linhas de crédito para os caminhoneiros e assistência à saúde e qualificação profissional para os trabalhadores do transporte de forma geral. Esse último é oferecido pelo SEST SENAT, que é parceiro do Ministério no aplicativo, desenvolvido pelo Serpro. 


O SEST SENAT está apoiando o Ministério da Infraestrutura na oferta de outros serviços importantes para os motoristas, como, por exemplo, informações sobre restaurantes abertos nas rodovias. Além disso, a pasta afirma que está trabalhando para disponibilizar outras informações, como serviços de apoio médico para medição de temperatura e distribuição de kit higiene, além de serviços gerais, como borracharias e mecânicas.


Facilitando a vida dos caminhoneiros


No Infra BR, o SEST SENAT disponibiliza diversos serviços, como a localização das suas 155 unidades para atender os trabalhadores do transporte; serviços de saúde e de qualidade de vida oferecidos a esses profissionais; informações sobre cursos presenciais e acesso a cursos a distância para capacitação. No app, também é possível ter acesso à carteirinha digital do SEST SENAT e aos certificados dos cursos realizados.


Sistema CNT sugere medidas de apoio


Desde o início desta crise mundial da saúde, o Sistema CNT – que é constituído pela CNT, pelo SEST SENAT e pelo ITL – tem estado em contato com o governo federal para que sejam adotadas ações de apoio aos caminhoneiros e de medidas que reduzam os impactos causados pela crise no setor de transporte.


O presidente dos Conselhos Nacionais do SEST e do SENAT, Vander Costa, solicitou ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, que os motoristas profissionais sejam considerados público prioritário na campanha de vacinação contra o vírus da influenza, causador da gripe. Em vista da importância desses profissionais para manter o país em funcionamento, o objetivo é protegê-los de forma antecipada para impedir a cadeia de transmissão dessa doença.


O presidente da CNT também ofereceu apoio para viabilizar a aplicação das vacinas, ao disponibilizar as 155 unidades operacionais do SEST SENAT, localizadas nas cinco regiões do país. Vale ressaltar que, embora o governo federal tenha antecipado a campanha de vacinação contra a influenza, o Ministério da Saúde alerta que isso não imuniza as pessoas contra a covid-19.



Voltar!