Notícia
CDCH discute o papel do gestor em lidar com situações conflituosas
Postado em: 22/09/2020
CDCH discute o papel do gestor em lidar com situações conflituosas

Num ano de muitas mudanças e incertezas, o Transcares tem realizado eventos com o objetivo de fomentar conhecimento na busca melhores práticas para as empresas. E o último encontro da CDCH (Câmara de Desenvolvimento do Capital Humano), quinta-feira, 17, não foi diferente. A partir do tema Gestão de Conflitos em Tempos de Pandemia, a  especialista em gestão de pessoas e parceira do sindicato Fernanda Anchieta colocou os 14 participantes para refletir sobre os ambientes e as relações organizacionais, e levou o grupo a pensar que nem sempre o conflito é ruim – se  conduzido da forma correta, ele pode agregar positivamente, tanto para a empresa quanto para o profissional. Como tem sido costume neste momento de pandemia, o encontro foi online, na plataforma Zoom.


Analista de RH do Transcares, Drielly acompanha todas as reuniões da CDCH e fez questão de enaltecer a escolha do assunto. “O tema foi essencial para que os gestores passem a se posicionar e olhar para os colaboradores e para a cultura organizacional de modo diferente, buscando cada vez mais conhecimento e soluções mais viáveis para lidarem com os conflitos que surgem no dia a dia”.


Outro motivo que faz do tema essencial são dados apontados por Fernanda. Segundo ela, atualmente os gestores gastam em média 20% do tempo para tentar resolver conflitos – sejam eles funcionais (construtivos) e disfuncionais (destrutivos).


No intuito de ajudar os líderes a mitigar situações conflituosas e coordenar ações e decisões que deverão ser tomadas para que o conflito não vire um confronto, ela elencou vários pontos e deu orientações importantes ao grupo presente. Também ressaltou a importância de sempre nos questionarmos sobre quais são os conflitos que vivemos no momento; como fazer para lidar e saber identificar se são positivos ou negativos; e a partir daí colocar em prática as soluções.


Fernanda citou como exemplo de conflito externo o impacto causado no mercado em função da pandemia da Covid-19.


“Aqui temos um exemplo real e inesperado, que exigiu e ainda tem exigido uma mudança imediata nas estratégias das empresas/gestão, pois através dos impactos externos temos um efeito dominó que ocasionam impactos internos, como falhas na comunicação, mudanças estruturais, ansiedades e frustações dentre outros. Podemos dizer, inclusive, que a pandemia forçou o início de uma nova era, em que gestores precisaram mudar as formas de gestão e as empresas mudaram seus processos para não serem engolidas pelo mercado tão competitivo”.


Para encerrar mais um encontro da CDCH, Fernanda deu algumas dicas para os gestores. “O gestor centralizador precisa se reinventar, precisa ser um facilitador, trabalhando em equipe, incentivando, desafiando, ouvindo e desenvolvendo ideias dos colaboradores, pois os tempos mudaram e o novo normal nos obriga a ressignificar nossas competências”.


Uma das participantes da reunião, Richelle Georgia Martins, da empresa associada Comércio e Representações Capixaba, fez questão de parabenizar o Transcares por sempre promover o desenvolvimento dos profissionais do segmento. “Isso só nos fortalece!”, resumiu.



Voltar!