Notícia
Corpo de Bombeiros ES faz bonito no Desafio Mundial de Resgate Veicular
Postado em: 02/12/2016
Corpo de Bombeiros ES faz bonito no Desafio Mundial de Resgate Veicular
Uma delegação capixaba, composta pelo tenente-coronel Rodrigo Ribeiro, pelo capitão Lucas Sossai, pelos tenentes Márcio Cavachini, Raquel Santana e João Paulo Rafalsky, pelos cabos Adair Ferreira, Marcos Mercier e Marcio Sarcinelli, pelo soldado Lincoln Ferreira e pelo médico emergencista Thiago Bissoli, todos do Corpo de Bombeiros do Estado, integrou a delegação brasileira que disputou o Desafio Mundial de Resgate Veicular (WRC), realizado entre os dias 19 e 23 de outubro, na cidade de Curitiba, no Paraná.

O torneio, disputado pela primeira vez no Brasil e que teve o Transcares como um dos parceiros do Corpo de Bombeiros na viagem da equipe, reuniu delegações de 38 países e 60 das melhores equipes de resgate do mundo para promover troca de experiências, estimular novas técnicas e o uso de novos equipamentos, além de preparar profissionais para reduzir a mortalidade de acidentes por meio de uma atuação cada vez mais qualificada.

E o time capixaba fez bonito na prova internacional! O grupo ficou em 25º lugar na classificação geral, foi a terceira equipe brasileira melhor colocada e a quarta da América Latina.

País-sede, o Brasil, a princípio, tinha direito a inscrever duas equipes. Mas ganhou vagas remanescentes de outros países e foi representado por cinco estados – Espírito Santo, Paraná, São Paulo, Santa Catarina e Rondônia. De todos, a melhor colocada foi a equipe paulista, que garantiu o 14º lugar geral. Os vencedores do Desafio foram os países europeus. Em primeiro lugar ficou País de Gales, seguido de Portugal com uma equipe de Lisboa.

“Voltamos de Curitiba satisfeitos com o que vivenciamos. Um novo horizonte de conhecimento se abriu para o Corpo de Bombeiros do Espírito Santo. Temos uma equipe com grande potencial para difundir conceitos novos e também para se preparar para novas oportunidades de competições nacionais e mundiais. O mais importante não são as medalhas conquistadas, e sim a quantidade de pessoas que serão salvas de forma direta e indireta fruto desta experiência”, ressaltou o tenente Rafalsky.

Aprendizado necessário

O Brasil figura nas mais altas estatísticas mundiais no que se refere a número de acidentes de trânsito. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), somos o quinto País mais violento em relação aos resultados do trânsito no mundo. Temos um enorme número de vítimas fatais e portadores de sequelas temporárias ou permanentes. O número alarmante de 01 acidente de trânsito a cada 57 segundos, causando uma morte a cada 22 minutos faz com que o Brasil recorra a ações para mudar este cenário e transformar estas estatísticas que são vidas.

O WRC, portanto, surge para desenvolver ações que contribuam para esta mudança, uma vez que profissionais de diversos países apresentam suas técnicas em resgate e salvamento, caracterizando-se como um espaço para aperfeiçoamento e aprendizado, bem como oportunidade para fomentar debate e iniciativas públicas e privadas para transformar esta realidade atual.

Seletiva

A equipe capixaba carimbou vaga no campeonato após ficar em quarto lugar seletiva nacional. E essa colocação é motivo de orgulho para o grupo.

“Estar entre as cinco melhores equipes do País nos proporciona uma satisfação muito grande, já que utilizamos na competição somente a doutrina ensinada nos nossos cursos de formação, sem encenação ou direcionamento baseado nas fichas de avaliação. Em outras palavras, isso significa que as técnicas utilizadas nos salvamentos veiculares nas rodovias de nosso Estado estão alinhadas com o que se tem de melhor no mundo”, justificou o tenente-coronel Rodrigo Ribeiro, que junto com o capitão Lucas Sossai participou como coordenador da equipe capixaba.
Galeria de Fotos
1


Voltar!