Notícia
Remuneração estratégica e desenvolvimento empresarial em debate no novo Bate-Papo com Gerentes
Postado em: 26/06/2020
Remuneração estratégica e desenvolvimento empresarial em debate no novo Bate-Papo com Gerentes

O cronograma de cursos, reuniões e palestras do Transcares neste ano de 2020 tinha tudo para “bombar”! Além do lançamento do PDL – Programa de Desenvolvimento de Líderes do Transporte e da programação dos cursos, escolhidos após pesquisa feita com os associados, os encontros da Câmara de Desenvolvimento do Capital Humano (CDCH) e do Bate papo com Gerente foram remodelados. Se tornaram trimestrais, com a presença de mediadores e mais “intimistas”, voltados a questões ainda mais práticas do segmento. O calendário da CDCH e do Bate com Gerentes seria colocado em prática a partir de março, mas a pandemia do novo coronavírus mudou tudo! Os cursos presenciais não têm data para voltar, o PDL foi adiado para ano que vem, a primeira reunião da CDCH foi em 17 de maio, m plataforma digital, e o lançamento do Bate-Papo com Gerentes, no mesmo formato, aconteceu nesta quinta, 25.


Parceiro de longa data do sindicato e conhecedor das especificidades do segmento do transporte rodoviário de cargas e logística, o escolhido para fazer a mediação desses encontros foi o economista Paulo Roberto Simões, que escolheu os temas Remuneração Estratégica e  Desenvolvimento Empresarial para o primeiro encontro.


Doze gerentes prestigiaram a reunião, que começou com Simões contextualizando o atual cenário. “Temos um mercado em crise e muitas empresas encerrando as atividades. Para enfrentar isso, precisamos otimizar tempo e melhorar a qualidade dos nossos serviços. E todo esse cenário nos faz refletir sobre diferencial e inovação num mercado pós-pandemia”.


E se temos um mercado em transformação, mudanças que precisam nascer dentro das empresas também estão em curso. Neste sentido, como Paulo destacou, existem tendências declinantes e ascendentes que precisam ser levadas em conta. Reprodutibilidade, rigidez, divisão de tarefas e liderança autoritária, no que diz respeito às características do trabalho; hierarquia vertical, centralização e perenidade, quanto às estruturas organizacionais; foco no capital, teorias quantitativas e distância entre capital e trabalho, no quesito características da gestão empresarial, são tendências declinantes, segundo o economista.


Por outro lado, está em alta criatividade, flexibilidade, aprendizado contínuo e liderança interacional (características do trabalho), redução de níveis hierárquicos, descentralização e autonomia, Instabilidade como fator de evolução e terceirização (estruturas organizacionais), foco nos recursos humanos e na gestão da informação, colaboração e participação (características da gestão empresarial).


De carona com as transformações organizacionais surgem as diversas formas de remuneração e Paulo Simões é defensor da remuneração estratégica, definida como uma combinação equilibrada de diferentes formas de remuneração. “Aqui, não levamos apenas em consideração o tempo que o profissional leva para desenvolver certa tarefa, mas sobretudo, o resultado e seu desempenho no desenvolvimento da tarefa. É uma forma moderna de recompensar a equipe e ainda gera, além de resultado, motivação”, destacou ele, que também citou a importância do Planejamento Estratégico para o engajamento dos colaboradores.


“Colaboradores precisam conhecer o plano de negócios de suas empresas para que possam trabalhar estrategicamente, buscando resultados positivos”, deu a dica, que volta a se encontrar com os gerentes das transportadoras capixabas dia 21 de setembro.

Fonte: Assessoria de Imprensa Transcares - Anna Carolina Passos



Voltar!